Geração de energia solar cresce 21,7% no primeiro trimestre de 2020

Somente em março, a fonte apresentou incremento de 29% em relação ao mesmo mês de 2019, segundo CCEE”

A geração de energia solar fotovoltaica cresceu 21,7% no primeiro trimestre de 2020 na comparação com o mesmo período do ano passado, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Somente em março, a fonte apresentou incremento de 29% em relação ao mesmo mês de 2019.

A geração de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN) recuou 1,9% no primeiro trimestre, com o volume consumido chegando a 66.532 megawatts (MW) médios. No período, a produção hidrelétrica recuou 2,5%, assim como as eólicas geraram 15,8% menos do que nos mesmos meses do ano passado. Diante desse resultado, a geração termelétrica cresceu, cerca de 7,4%.

Contabilizando apenas o mês de março, a geração de energia elétrica recuou 0,7%, na comparação com o mesmo mês em 2019, para 65.089 MW médios, com destaque para a queda de 14,2% da geração de térmicas e de eólicas. Nesse contexto, a geração de hidrelétricas teve elevação de 2,1% em relação a março do ano passado.

Ainda de acordo com os dados da CCEE, o consumo de energia no primeiro trimestre caiu 1,9% na comparação anual, de 67.740 MW médios para 66.449 MW médios. “O comportamento do consumo não reflete totalmente os efeitos das medidas de isolamento social para combater a pandemia do coronavírus, que tiveram início a partir do dia 21 de março”, explica a entidade. 

Considerando apenas os resultados de março, o consumo recuou 0,8% frente ao mesmo mês de 2019. O mercado regulado apresentou queda de 2,5%, para 44.912 MW médios, enquanto o mercado livre viu a demanda crescer 3,4%, para 20.077 MW médios. A CCEE aponta que esse comportamento ocorre em razão da migração de consumidores.

Excluindo os efeitos das migrações, em março, o consumo seria 0,5% menor no mercado regulado e 1,4% no mercado livre. “A redução do consumo de energia no mercado livre, excluindo o efeito da migração das cargas novas, é explicada pela queda no consumo de 11 ramos de atividade que correspondem a cerca de 56,4% do total demandado no mercado livre. Dentre essas quedas, destacam-se os setores de transporte (-21%), serviços (-16%), veículos (-13%) e têxteis (-9%)”, destaca a entidade.

Fonte: https://www.portalsolar.com.b

Blog

WordPress Lightbox
Open chat
1
Olá, tudo bem!
Em que podemos ajudar?
Powered by